Skip to content

Como Jesus Transforma a Nossa Vida

Janeiro 26, 2011

[Um sermão para a Igreja de Cristo em Lisboa, 19 Dezembro 2010]

Temos estado a falar sobre vidas transformadas e este mês estamos a falar sobre como Jesus transforma as nossas vidas. Nos meus pensamentos, este assunto tem dois aspectos principais. O primeiro é o que Jesus tem feito por nós. No nascimento de Jesus, vemos que o amor de Deus por nós é tão grande que Ele mandou o seu Filho para viver uma vida humana, em que o maior parte das pessoas duvidavam, para sofrer perseguição e morrer na cruz, e (Esta é a melhor parte!) para ressuscitar para nos salvar da morte também. Esta realidade transforma a nossa vida. Temos vida por causa da vida e da ressurreição de Jesus. Temos esperança por causa das promessas de Jesus para a vida eterna e a vida presente. Temos o Espírito Santo para nosso guia, intérprete, e força por causa do nosso baptismo segundo o exemplo de Jesus. Temos uma vida transformada pelas acções e pelo grande amor de Jesus e o amor e graça de Deus. Este é o primeiro aspecto duma vida transformada por Jesus.

Este aspecto da vida cristã realmente é o primeiro aspecto porque temos de entender e crer em Jesus e o que Jesus tem feito por nós para que o segundo aspecto da vida cristã tenha significado, relevância, e força na nossa vida.

 

A transformação que Jesus faz nas nossas vidas não pára com as coisas que Jesus tem feito. Jesus transforma as nossas vidas também pela nossa resposta às suas acções. Transforma-nos porque nos ama e transforma-nos pelo nosso amor para Ele. Mas este amor não é o mesmo amor sobre o que o mundo fala. É diferente. O amor verdadeiro para Jesus não é só uma emoção; é também uma acção.

Em João 14, Jesus estava a falar com os seus discípulos. Ele disse-lhes que Ele é o caminho para o Pai; Ele é o caminho, a verdade, e a vida. Disse que eles precisam de conhecer e crer em Jesus porque ao conhecer e crer em Jesus, eles iam conhecer Deus. Em outras palavras, para ter um relacionamento com Deus, precisam conhecer e crer no que Jesus estava a fazer por eles e por nós. Isso é o primeiro passo. Depois, em 14:15 Jesus continuou,

“Se me amardes, guardareis os meus mandamentos.”

A nossa crença e o nosso amor por Jesus não se pode desligar da nossa obediência aos mandamentos de Jesus. Mas esta não foi uma nova doutrina de Jesus. Para as Israelitas era sempre assim. Crer e amar Deus significa também obedecer. Em Deuteronómio 10:12-13 Moisés disse,

“Agora, pois, ó Israel, que é que o Senhor teu Deus requer de ti, senão que temas o Senhor teu Deus, que andes em todos os seus caminhos, e o ames, e sirvas ao Senhor teu Deus de todo o teu coração e de toda a tua alma, que guardes os mandamentos do Senhor, e os seus estatutos, que eu hoje te ordeno para o teu bem?”

Moisés ligou o amor de Deus com o servir a Deus e a guardar os seus mandamentos. Jesus continuou esta doutrina. É o mundo moderno que separa emoção ou pensamento de acção. Há muitas pessoas hoje que pensam que podem amar Jesus sem guardar os seus mandamentos. Pensam que amor é a coisa mais importante e obediência é menos importante. Mas este não é o amor da Bíblia. Os dois, amor e obediência, são ligados nas escrituras. E esta ligação chama-se ‘aliança.’

Para os Israelitas, o centro da vida era a sua aliança com Deus. E o centro desta aliança era os dez mandamentos. Os dez mandamentos, nos dois lugares onde estão situados – em Êxodo 20 e Deuteronómio 5, começam com o que Deus tem feito para os Israelitas.

“Eu sou o SENHOR, teu Deus, que te tirei do Egipto, da casa da servidão.”

O que Deus tem feito é a origem da aliança. E a aliança é a origem dos mandamentos. Então, o amor de Deus é, primeiro, reconhecer o que Deus tem feito e segundo, responder com obediência.

 

Esta aliança é o contexto para o ministério de Jesus. Jesus renovou a aliança com o seu povo – porque em Jesus, Deus tirou o seu povo da casa da servidão outra vez (esta vez, foi servidão a pecado) e Ele dá um exemplo duma vida obediente para nós seguirmos.

Então, aqui queria fazer um intervalo destes pensamentos. O que eu acabei de descrever é o evangelho: a história de Deus e o Seu povo; a ligação entre as acções dEle e a nossa obediência. Acho que nós todos sabemos bem estas coisas. Vamos pensar, portanto, como a viver em aliança com Deus transforma a nossa vida.

O que é obediência? Obediência realmente é uma maneira de transformação. Causa-nos mudar a maneira em que nos vivemos. Mas obediência é mais do que seguir algumas regras. Muitas pessoas no mundo seguem estas regras: não matarás; não adulterarás; não furtarás. Isso não faz estas pessoas crentes em Deus, nem obedientes a Deus. A servir ao Senhor nosso Deus de todo o nosso coração e de toda a nossa alma é mais do que seguir as regras. Seguir os mandamentos de Deus é só o início de nossa transformação. Se nós continuarmos a crescer em nossa obediência, também vamos amadurecer no nosso amor por Deus. É o nosso amor por Deus que dá significado, relevância, e força à nossa obediência.

Regras podem levar-nos pensar da vida cristã como branco e preto. Pensamos, enquanto eu estou fazer isso (ou, mais provável, enquanto não estou a fazer isso), está tudo bem. Mas este tipo de vida é estático; não é crescimento. A vida verdadeira cristã deve crescer. Nós estamos sempre a tentar viver mais e mais como Jesus.

Jesus ensinou isso. Por exemplo, no sermão da montanha Jesus disse,

“Ouvistes que foi dito aos antigos: Não matarás … Eu, porém, vos digo que todo aquele que se irar contra seu irmão estará sujeito a julgamento; e quem proferir um insulto a seu irmão estará sujeito a julgamento do tribunal; e quem lhe chamar: Tolo, estará sujeito ao inferno de fogo.”

Esta doutrina de Jesus tem origem na aliança, e para Jesus não é simplesmente uma regra sobre homicídio. A regra é só o início para guiar-nos aos melhores relacionamentos. Jesus não estava a mudar as regras; estava a guiar-nos a uma vida mais obediente. Realmente isso foi a intenção de Deus na aliança mais velha. O primeiro lugar onde a Bíblia disse, “Amarás o teu próximo como a ti mesmo” é Levítico 19.

Mais um exemplo. Quando um homem rico veio a Jesus e perguntou, “Que farei eu de bom, para alcançar a vida eterna?” Jesus respondeu, “Guarda os mandamentos.” O homem replicou, “Tudo isso tenho observado; que me falta ainda?” E disse-lhe Jesus, “Se queres ser perfeito, vai, vende os teus bens, dá aos pobres e terás um tesouro no céu; depois, vem e segue-me.”

Outra vez, Jesus começou com a aliança. Mas este homem disse que tinha guardado todos os mandamentos. Então Jesus mostrou que a vida cristã é mais do que guardar os mandamentos. Outra vez, Jesus estava a guiar-nos aos melhores relacionamentos. Este exemplo é um pouco mais difícil para nós porque ninguém quer vender os seus bens. Também se todos nós tentássemos seguir esta doutrina literalmente, íamos ter uma sala cheia de pessoas nuas, sem casas. Geralmente, portanto, cristãos removem qualquer medida de obediência deste texto. Dizem que só tem significado espiritual. “Não gostem demais dos vossos bens.” Mas acho que isso não é fiel à missão de Jesus. Jesus estava a guiar-nos a uma vida mais obediente. Talvez precisemos de dar mais e mais aos outros; e ao dar-lhes crescemos em obediência e amor.

Então obediência é transformação. Enquanto nós obedecemos, ficamos mais e mais como Jesus. Nós crescemos em fé e em amor. E espero que enquanto nós ficamos mais e mais como Jesus, obediência vai ficar cada vez mais fácil. (Mas eu ainda não estou lá.) Os mandamentos de Deus guiam-nos numa vida cheia do Espírito Santo, reflectindo a imagem de Deus, que é uma luz no mundo.

Mais um pensamento. Se nós estivermos a ser transformados pela nossa obediência, de que é que estamos a ser transformados? O mundo vive com valores diferentes. Se nós vivermos em aliança com Deus, vamos parecer diferentes de outros. E o mundo vai reagir em uma de duas maneiras. Ou as pessoas vão questionar-nos sobre o nosso comportamento diferente, ou eles vão perseguir-nos por causa da diferença. Nos dois resultados, continuamos a crescer e a glorificar a Deus. Uma parte importante da nossa obediência é aproveitar as oportunidades de partilhar a nossa fé que é vista na maneira diferente em que vivemos e ter por motivo de toda alegria o passar por várias provações.

Então queria desafiar-nos a pensar como a transformação de Deus pode continuar na nossa vida. Onde é que podemos crescer na nossa obediência? Onde é que nos podemos esforçar mais para crescer além de guardar os mandamentos até reflectirmos melhor a imagem de Deus? Este Natal, celebramos a incarnação de Jesus e a transformação que Ele traz. Espero que Deus nos abençoe com um melhor entendimento da sua Palavra sobre o que Ele tem feito por nós através do seu Filho.

Anúncios
No comments yet

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: